23 de junho de 2011

Olá,

Nesta semana o Sol ingressou no signo de Câncer. Aos cancerianos, meus parabéns em seu regresso solar!

Temos nesta semana, um belo exemplar canceriano: Pablo Neruda. No início deste mês foi aberto uma polêmica envolvendo o nome do poeta morto em 1973, existe fortes denúncias que teria sido envenenado por representantes do governo Pinochet. O caso foi reaberto. Aguardemos. Mas mudemos de assunto e vamos lembrar do melhor de Neruda.

Cantarolando os versos de Chico Buarque e Francis Hime: “Devolva o Neruda que você me tomou, e nunca leu. Eu bato o portão sem fazer alarde, eu levo a carteira de identidade, uma saideira, muita saudade e a leve  impressão de que já vou tarde “…

boa semana,

Nádia Oliveira

CÉU DO MOMENTO

No último dia 21 de junho, as 14h16m (hora de Brasília) o Sol ingressou no signo de Câncer. O Sol nestes seus primeiros graus faz oposição a Plutão que se encontra no signo de Capricórnio e forma ainda uma quadratura com Urano nos primeiros graus do signo de Áries. O que estará em jogo aqui é uma certa disputa de poder. Procure estar mais flexível para uma possível mudança de planos.

Não será muito fácil expressar o que se deseja por estes dias, todo tipo de comunicação (profissional ou pessoal) devem ser feitas com muito cuidado para evitar “ruídos”.

Boa fase para investir em assuntos que ambicionamos. Procure apoio e conselhos, eles serão de grande ajuda para que  consiga atingir seus objetivos. Mas evite  situações de muito estresse, pois podem resultar em enorme perda de tempo.

O período é bom para curtir amigos e vida social, mas no amor a comunicação também não estará muito fácil. O melhor é adiar conversas mais complexas.

O céu propicia bons e inspirados momentos de criação. Faça planos, elabore projetos, enfim: crie!

 

SIGNO DO MÊS

Um pouco mais sobre Câncer (link para a página de Câncer)

Este signo se relaciona a interiorização de emoções e sentimentos. Com ele aprendemos a ser mais sensíveis, poéticos e comprometidos.

“A ti Câncer, atribuo a tarefa de ensinar aos homens a emoção. Minha idéia é que provoques neles risos e lágrimas, e a plenitude dos sentimentos. Para isso Eu te dou o Dom da Família, para que tua plenitude possa se multiplicar.” (Martin Shulman)  

 

 

 

Em Câncer os sentimentos e as emoções estão afloradas. É o primeiro signo do elemento água. Simboliza o mergulho no lado mais psíquico e interno do ser humano. No elemento água tocamos a Alma humana, todas as sensações são fortemente presentes, não mais o impulso animado do elemento Fogo, a praticidade do elemento Terra ou a racionalidade do elemento Ar.

Características: empatia, possessividade, amabilidade, apego ao passado, proteção, simpatia, instabilidade e sensibilidade.

Outros assuntos vinculados ao signo do Caranguejo são a família, o passado e a memória, que auxiliam na criação de bases sólidas para se estruturar. Seus relacionamentos afetivos e sociais carregam sempre esta marca de compromisso e responsabilidade. O signo de Câncer está vinculado a idéia de nutrir e cuidar. Busca conforto e segurança dentro de estruturas já conhecidas. Normalmente evitam confrontos diretos e agressivos, preferindo uma atitude mais recolhida e defensiva.

Os ambientes íntimos e aconchegantes os deixam mais tranquilos, afinal sentem-se abrigados dentro de si, de sua própria concha. Normalmente tímidos, se preocupam com o futuro, mas sempre com um pé no passado. Este signo regido pela Lua vive flutuações de humor, suas opiniões variam conforme a mudança da maré.

São românticos, dóceis e carinhosos. Estão sempre prontos a proteger aqueles que lhe são queridos. Por conta de sua natureza protetora é o signo associado à maternidade.

 

PERSONALIDADE CANCERIANA

PABLO NERUDA

Trago agora um  “mega” canceriano chileno, Pablo Neruda. Nasceu com Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte e Netuno todos no signo de Câncer. É mega não?

“Amo tanto as palavras … As inesperadas … As que avidamente a gente espera, espreita até que de repente caem … Vocábulos amados … Brilham como pedras coloridas, saltam como peixes de prata, são espuma, fio, metal, orvalho … Persigo algumas palavras … São tão belas que quero colocá-las todas em meu poema .” Confesso que Vivi — Memórias – Pablo Neruda

Pablo Neruda nasceu em 12 de julho de 1904 no Chile,  é um dos mais importantes poetas da latinos. Perdeu a mãe logo ao nascer (stellium na Casa 8). Adotou um pseudônimo quando começou a escrever e acabou adotando-o como nome oficial, seu nome de nascimento era Neftalí Reyes.

Atuou desde os 23 anos como cônsul tendo viajado para diversos países (Vênus na Casa 9). Por sua atuação política junto ao partido comunista, do qual chegou a se eleger senador, foi obrigado a se exilar, quando o partido passou a ser perseguido em seu país. Urano na primeira casa, pode ter dado a ele, uma personalidade rebelde e envolvida em causas política-sociais. A marca de sua suas idéias se encontram em várias de suas poesias.

Em 1971, ganha o Prêmio Nobel de Literatura (Júpiter no signo de Sagitário por trânsito faz uma conjunção com Ascendente). Nesta fase estabelece residência na Ilha Negra, mas continua viajando, como embaixador durante o governo de Salvador Allende. Em 1973, o Chile vive um golpe militar liderado por Pinochet, algumas semanas depois Neruda falece.

“Refugiei-me na poesia com ferocidade de tímido.” Pablo Neruda Querer Não te quero senão porque te quero E de querer-te a não querer-te chego E de esperar-te quando não te espero Passa meu coração do frio ao fogo. Te quero só porque a ti te quero, Te odeio sem fim, e odiando-te rogo, E a medida de meu amor viageiro É não ver-te e amar-te como um cego. Talvez consumirá a luz de janeiro Seu raio cruel, meu coração inteiro, Roubando-me a chave do sossego. Nesta história só eu morro E morrerei de amor porque te quero, Porque te quero, amor, a sangue e a fogo. Pablo Neruda Um pouco mais de Neruda

“Uma das mais generosas e exemplares ações de solidariedade humana que ocorreram um pouco antes da 2ª Guerra Mundial eclodir foi a ensejada pelo poeta chileno Pablo Neruda. Cônsul do seu país em Paris, ele tratou de salvar um número significativo de refugiados espanhóis que se abrigaram na França, após a derrota dos republicanos na guerra civil de 1936-9. Conseguiu milagrosamente, em agosto de 1939, fretar um navio, o Winnipeg, proporcionando a que 2.500 asilados que pudessem começar uma nova vida na América do Sul, poupando-os da guerra mundial e salvando-os dos campos de concentração. Eles formaram a lista de Neruda.

“O melhor poeta é o que entrega o pão de cada dia…a entrega da mercadoria: pão, verdade, vinho, sonhos…é uma ração de compromisso” Pablo Neruda – Discurso de Estocolmo, 1971

(…)

A notícia do falecimento dele correu de boca em boca por Santiago. Quem iria se atrever, com aqueles tiros todos nas ruas, com os cadáveres jogados nas calçadas e nas sarjetas, a ir aos funerais de Neruda? Pois foram. Quando o modesto caixão foi levado para o cemitério, a multidão foi se ajuntando ao redor do esquife. Murmurando versos dele, as ruas foram se enchendo de gente, recitando trechos da “Canção Desesperada”, ou ainda a estrofe “Abandonado como um cais ao amanhecer/ É a hora de partir, oh abandonado! ” Durante os quinze anos seguintes nenhum chileno ousou sair á ruas em protesto.”
fonte: História por Voltaire Shilling
spacer

Leave a reply