Responsabilidade Cármica

SONETO 94

ShakspeareShakespeare

Aqueles que têm o poder de ferir e nada farão,
Que não fazem o que demonstram,
Que ao impelir outros, são como pedra,
Imóveis, frios, e imunes à tentação –
E por direito caem nas graças divinas,
E herdam da natureza as riquezas de seu custo;
Eles são os senhores e donos de si mesmos,
Os outros, apenas os servos de sua excelência.
A flor do verão é doce para a estação,
Embora para si mesma apenas viva e feneça;
Mas se essa flor for ferida em sua essência,
A erva daninha mais singela arrancará a sua honra;
Pois o mais doce se torna amargo por seus feitos;
Lírios mais fétidos do que as ervas daninhas.

Responsabilidade Cármica

Dr. Douglas Baker (As leis cármicas)

homem saturno

Somos todos responsáveis por nosso carma, como por qualquer dívida. Mas o compromisso cármico aumenta à medida que nos tornamos mais responsáveis, e nossas responsabilidades aumentam à medida que nos tornamos mais espirituais. A crueldade em um animal não produz carma, mas a crueldade em um homem desenvolvido invoca necessariamente a retribuição cármica. Quando chegamos ao estágio do discipulado, a crueldade é quase imperdoável, seja em pensamento, palavra ou ação, e cria um pesado débito cármico. O soneto 94 termina com uma ênfase especial a essa verdade oculta:

“Pois o mais doce se torna amargo por seus feitos;
Lírios mais fétidos do que as ervas daninhas”

 

 

spacer

Leave a reply