Memória e Carma

lua

“A memória não é a capacidade de organizar e classificar recordações em arquivos. Não existem arquivos. A acumulação do passado sobre o passado prossegue até o nosso fim, memória sobre memória, através de memórias que se misturam deturpadas, bloqueadas, recorrentes ou escondidas, ou reprimidas, ou blindadas por um instinto de sobrevivência. Uma fogueira no alto ajudaria. Mas ela se apaga com o tempo. E não conseguimos navegar de volta para casa.” Marcelo Rubens Paiva – Ainda estou aqui

É natural que boa parte das pessoas misturem palavras como passado, memória e carma. Mas é importante fazer a distinção para que possamos tirar o melhor proveito possível da Astrologia Cármica.

A memória é nossa capacidade de reter e lembrar do passado. Obviamente é necessária para o processo de aprendizagem, relacionamentos e criar a nossa maneira de ver o mundo. 

No mundo moderno da informática, usamos o termo memória, para a capacidade de armazenar os dados. Em nós, esse processo também acontece e esse complexo mecanismo armazena e recupera as experiências.  Usamos estas experiências para agirmos, pois estabelecem nossos padrões comportamentais.

Normalmente estes padrões se tornam automatizados e inconscientes e acabamos nos tornando prisioneiros de nossas antigas experiências, inclusive de vidas anteriores.

Muitas vezes, uma experiência angustiante, um fracasso e uma perda que ocorreram anteriormente se tornam um padrão repetitivo – e é neste ponto que se mistura com carma: se sou pobre, tenho inimigos, perco relacionamentos afetivos ou sofro em quaquer área, devo anteriormente ter cometido muitos equívocos, certo? Nem sempre, muitas vezes, continuamos presos ao passado.

razão e emoção

Em Astrologia Cármica, a memória está fortemente vinculado a Lua. E aqui a Astrologia tem realmente uma abrangência muito rica – afinal é uma memória emocional, portanto se torna muito difícil que nossa racionalidade resolva por si só nossos dilemas gerados por padrões herdados da memória.

Portanto muitas e muitas vezes, passamos por situações porque continuamos presos a elas e não por razões carmicas. Para mudar isso é necessário investir em novos aprendizagens, ou seja, é preciso emocionalmente criar novas experiências e esperar o tempo necessário para assimilarmos, não só racionalmente, novos conceitos.

Veja abaixo o vídeo que fiz abordando o mesmo tema:

[embedplusvideo height=”450″ width=”550″ editlink=”http://bit.ly/1W0bKxu” standard=”http://www.youtube.com/v/6fB7aXu4GUI?fs=1″ vars=”ytid=6fB7aXu4GUI&width=550&height=450&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep7022″ /]

 

 

 

 

spacer

Leave a reply