22 de junho de 2015

Olá,
dalai

Dalai Lama é canceriano

O Sol ingressa no signo de Câncer e é importante para repensarmos nossos vínculos e nosso comportamento emocional de modo geral. Câncer é o quarto signo do zodíaco, regido pela Lua. O primeiro signo de água, elemento relacionado com as emoções, empatia e sensibilidade. Câncer é receptivo, protetor, podemos associar ao útero, a semente e a maternidade.  Uma ótima semana, repleta de boas emoções,

Nádia Oliveira

 

SOL DO MOMENTO

cancerNestes próximos dias Sol e Marte estarão conjuntos no sensível signo de Câncer, o que deixará a sensibilidade literalmente à flor da pele. Teremos a certeza que o mundo é o que sentimos, neste caso é preciso reforçar boas ações e bons pensamentos.

Superar angústias e medos também será necessário. A comunicação ainda pode estar de certa maneira distorcida, por isso é bom cuidar com possíveis falhas de interpretação.

Uma posição favorável entre Vênus e Júpiter nos abre ótimas oportunidades. Um pensamento otimista e ações concretas irão ser imprescindíveis neste momento.

REFLEXÕES SOBRE A LUA

Haydn Paul – A Rainha da Noite

rainhadanoite“Através da repetição de experiências e comportamentos, a Lua reflete a criação de modos de reação instintivos, revelando nossa predisposição subconsciente e os reflexos condicionados na forma de respostas aparentemente espontâneas às situações. Criamos diversos padrões de reação automáticos e mecânicos em cada nível de nossa existência: física, emocional e mental; e a vida, finalmente, toma a forma ditada apenas pelo hábito. Este constrói barreiras, estruturas e parâmetros psicológicos de natureza essencialmente protetora, destinados a nos defender dos choques das experiências para as quais não estamos preparados. Por esta razão, o confronto com a violência da guerra pode causar um grande trauma psicológico em indivíduos provenientes de ambientes relativamente pacíficos, enquanto em outros os padrões instintivos de sobrevivência são reativados sob tensão, a função sentimento é enclausurada, deixando-os mais preparados para lidar com a barbárie e a desumanidade do campo de batalha.

A Lua exerce atração sobre o passado, sobre a dominação da mente consciente pelo sentimentalismo, nostalgia, e ainda sobre atitudes e valores sociais estabelecidos. É um reflexo do passado contido em todo indivíduo que vive no presente, e que, mal aplicado, pode tornar-se uma armadilha que desvia a atenção da experiência de vida corrente. Como mediadora entre o passado e o presente, a Lua atua como um princípio de integração rítmica, lidando com mensagens dos instintos do corpo, dos sentimentos e da mente. As experiências assimiladas no passado através da Lua servem como diretrizes no confronto com experiências do presente. O papel da memória é vital para a noção de continuidade e identidade da espécie; sem a memória, nosso senso de coesão individual colapsa.

Através de suas raízes mergulhadas em nosso próprio passado, estendendo-se a nossos pais, lar e ambiente, a Lua atua através das qualidades de relacionamento. Dessas raízes também provêm nossa imagem do self, os sentimentos originais sobre nós mesmos, uma impressão reflexa e quase subliminar de nossa verdadeira natureza. Devido à qualidade dessas raízes coletivas, tendemos a uma inércia psíquica que nos impele a submergir na experiência da vida sem lutar para atingir a individualidade e o autoconhecimento. É essa força que nos atrai para os reinos do inconsciente. Essa tendência favorece uma resposta sentimental à vida que está intimamente associada a sensações físicas básicas e não ao desenvolvimento da mente e ao esforço para compreender e avaliar a vida.

O Sol e a Lua atuam como as duas polaridades fundamentais existentes no interior do indivíduo e têm grande importância na formação da matriz do ser, da qual surgem a individualidade e a personalidade. Eles representam as forças mais energizadas e magnéticas de nossa psicologia, mediando as influências de outros planetas através de sua posição e foco. O Sol está associado à individualidade e a Lua, à personalidade.”

n-animooncrescentMANTRA DA LUA

Cada planeta possui tradicionalmente um som ou mantra a ele associado, neste caso estamos falando especificamente dentro da tradição védica. Ao entoar o mantra entramos em harmonia com a essência de cada planeta ou luminar e assim são utilizados para minimizar efeitos nefastos ou mesmo para potencializar uma boa situação celeste, como se propiciasse uma sincronização. A indicação é entoar o mantra por pelo menos 40 dias.

Ouça abaixo um mantra da Lua: Om Shram Shreem Shrom Sah Chandramasay Namaha

[embedplusvideo height=”250″ width=”375″ editlink=”http://bit.ly/1GoGlwf” standard=”http://www.youtube.com/v/W4lClDsEbrg?fs=1″ vars=”ytid=W4lClDsEbrg&width=375&height=250&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep8577″ /]

 

 

 

 

spacer

Leave a reply