04 de agosto de 2014

Olá,

Nesta semana,  trago um leonino muito interessante, normalmente falar de leoninos importantes é falar de mega star: presidentes como Obama, Clinton, Fidel, ou celebridades como Madona ou Mick Jagger. Optei por Stanley Kubrick, um leonino teimoso e decidido. Altamente inspirado e que figura entre os maiores cineastas.

Começo também a tratar de talismãs astrológicos, ainda estão na moda? Vamos ver no decorrer das próximas semanas.

Uma excelente semana,

Nádia Oliveira

CÉU DA SEMANA

sol

A semana começa com a Lua no signo de Escorpião formando uma conjunção com o planeta Marte e logo em seguida com planeta Saturno. O que pode deixar os ânimos um pouco “quentes” neste início de semana – quero com isso dizer, que as emoções podem cegar nossa razão e nos fazer “errar a mão” ou “pesar a mão” se preferir. Também pode facilitar fluir questões mais guardadas e reprimidas – isso pode ser visto como benéfico se formos usar a energia de Escorpião da determinação e vontade de resolver as pendências.solis

Os planetas Júpiter e Mercúrio, podem e devem  inspirar a ideais mais nobres, favorece e inclina a estudos e aprendizado em geral. Quem precisar mexer com autoridade, leis ou documentações em geral, precisará estar muito bem preparado, nada será muito facilitado.

O planeta Vênus forma um interessante e tenso aspecto no céu – com os planetas Urano e Plutão – momento radical e decisivo – ao mesmo tempo, forma com Saturno um aspecto harmônico, o que nos assegura um certo conservadorismo e a opção pela segurança e estabilidade – talvez o mais indicado com isso é preparar-se mais adequadamente para o risco.

Notícias da semana

Grupo Gaia Brasilis

Grupo Gaia Brasilis

DVD Anos de Chumbo

DVD Anos de Chumbo

No último final de semana aconteceu em São Paulo a “Astrológica“, evento tradicional no meio astrológico organizado a 15 anos por Robson Papaleo – diretor da Gaia Escola de Astrologia. Como sempre, sucesso total! Tudo estava muito bem organizado, desde a recepção, palestras, encontros com amigos e muita Astrologia de qualidade. Na primeira noite, foi apresentado o novo trabalho do Grupo Gaia Brasilis deste ano, faço parte deste grupo desde sua formação a 12 anos atrás, hoje tendo como participantes João Henrique Bianco, Patricia Boni, Robson Papaleo e eu, Nádia Oliveira. O Gaia Brasilis é um grupo de pesquisa e estudo de Astrologia Mundial. Durante o evento foi apresentado o resultado do trabalho, um documentário sobre o Golpe Militar de 64 sob a perspectiva dos eventos astrológicos. Para quem não viu, o DVD – Anos de Chumbo, pode ser adquirido aqui.

O curso de Baralho Cigano Online já está com suas matrículas abertas. Grande sonho realizado. O curso será feito em quatro módulos e se destina a quem tem pouco ou nenhum conhecimento de cartas ciganas, pois começa desde os fundamentos até o aprendizado de interpretar e fazer tiragens mais complexas. Para quem desejar maiores informações é só entrar no site, lá está tudo explicadinho, passo a passo. Visite o MaterLuna

TALISMÃS ASTROLÓGICOS

Neste primeiro artigo sobre talismãs astrológicos, começo a abordar o uso de adornos nas antigas civilizações, vamos aos poucos entender em que contexto foram aplicados  conceitos astrológicos a eles. Mas hoje é só o princípio onde irei tratar das joias no antigo Egito.

Atualmente as joias são vistas como arte, adorno e investimento financeiro, mas no decorrer da história humana, tiveram outras importantes funções. Desde a pré história o homem utiliza adornos, tanto para exaltação de seu poder no grupo, como para sua proteção – eram usados ossos, pedras, dentes e conchas.

Museu Metropolitan - EUA

Museu Metropolitan – EUA

Na civilização egípcia havia uma relação clara entre a religiosidade e os adornos, os escaravelhos e as  serpentes por exemplo eram usados para proteção e poder. Os adornos eram assim objetos sagrados, junto com estatuetas e monumentos. Esta importância se estendia à vida após a morte – nos rituais e preparações onde estava contido uma grande presença de objetos sagrados, a começar pela própria arquitetura.

As jóias eram ricas em cores e se usava muito feldspato e lápis-lazuli, os metais mais usados foram o ouro e o bronze, recorriam também a uma liga formada de ouro, prata e cobre.  Usavam pedras naturais com vidro, pois este era bem mais fácil de se trabalhar. Encontramos objetos trabalhados em vidro desde cerca de 2000 a.C. Os vidros foram amplamente usados em objetos de decoração, adorno e sagrado, lembremos que tudo isso estava junto. Os adornos egípcios eram ricos em cores e usavam muito feldspato ( combinação química entre silicatos de alumínio com potássio, sódio, cálcio e, raramente, bário) e lápis lazuli. Encontramos além do lápis lazuli, malaquita, cristais, turquesas e jaspe. As cores eram muito importantes para os egípcios e a cada uma era atribuída um significado: verde era fertilidade e sucesso e o vermelho não poderia faltar no funeral, numa forte associação ao sangue.

Os egípcios usavam pulseiras, broches, fivelas, cintos, brincos e um peitoral decorativo muito específico, pois representava várias divindades. Os cabelos também traziam enfeites de ouro e pedras. O poder conferido a quem os usava era um poder espiritual, pois se entendia que faziam parte de objetos sagrados e portanto divinos. Os diademas,   uma espécie de tiara ou coroa, (a palavra diadema vem do grego  que significa amarrar em volta) eram usados para proteger a cabeça e os pensamentos, de alguma maneira traria a inspiração divina.

STANLEY KUBRICK

kubrick

Leonino com ascendente em Escorpião, Stanley Kubrick nasceu em Nova York no dia 26 de julho de 1928. É considerado um dos mais importantes cineastas de todos os tempos: Spartacus, Dr Fantástico, 2001 uma Odisséia no Espaço, Laranja Mecânica etc. Cresceu no Bronx em plena época da dura recessão norte-americana. Ainda jovem se interessou por fotografia – um de seus primeiros contatos com o universo netuniano. Já aos 22 anos estava envolvido em curtas metragens – cinema sem dúvida é também universo netuniano – em seu mapa encontramos Netuno na Casa 10 no signo de Leão, regendo a quinta casa – da personalidade e criatividade. Outro destaque é para o planeta Vênus, também no signo de Leão no MC, Vênus e Netuno se relacionam a arte e inspiração estética. Outro ponto a salientar, é a sexta casa no signo de Áries, que aponta para o ambiente profissional, seu regente está na sétima casa – setor de parcerias no signo de Touro, o qual Vênus seu regente, é o dispositor, podendo indicar também a forte inclinação artística.

kubrick

Sua carreira começa a decolar a partir de 56 quando faz O Grande Golpe, Urano neste período está transitando conjunto a seu Sol, possibilitando muita criatividade e grandes reviravoltas. Em seguida faz seu primeiro e polêmico filme Glória feita de sangue – onde tratava dos covardes e não de heróis de guerra – o filme foi proibido em vários países. Mas definitivamente podemos dizer que o filme causou um grande impacto. Spartacus o filme feito no início da década de 60, graças a sua amizade com Kirk Douglas, o levou a um cinema de grande destaque, mas o apresentou a uma indústria cinematográfica que ele nunca gostou de fazer parte, sempre primou pelo que chamou de total liberdade criativa, Urano planeta que traz rebeldia, está em sua quinta casa, da criatividade e arte – inovação e rebeldia fazem parte de sua expressão artística.

Em 1962, já morando na Inglaterra (Sol na 9 e Lua regendo esta casa traz um identificação forte com o estrangeiro – muitos críticos dizem que Kubrick parecia um cineasta europeu), filma  Lolita – que tem grande sucesso e repercussão, novamente em um forte clima de polemização em torno do romance de uma jovem por um homem mais velho. O Dr. Fantástico dá a ele a primeira indicação ao Oscar.

Em 1968, depois de anos de produção veio estreou 2001 – Uma Odisséia no Espaço considerado por muitos o melhor filme de ficção já feito. Júpiter transitava exatamente sobre sua Casa 10 e estava conjunto ao Netuno de seu mapa – o que deu a ele uma grande projeção. O filme levou o Oscar de efeitos especiais. Atualmente estamos acostumados a incríveis proezas cinematográficas no campo dos efeitos especiais – mas sempre vale rever a obra de Kubrick em seu pioneirismo e criatividade.

Mas controversas e polêmicas não faltaram na vida dele, em 1971 faz talvez seu mais polêmico filme – Laranja Mecânica.

Kubrick foi conhecido por seu incrível perfeccionismo, seguiram vários outros sucessos: Barry Lyndon, considerado um primor cinematográfico, O Iluminado entre outros, seu último filme foi De olhos bem Fechados, pouco antes de falecer. Podemos dizer que Kubrick foi um cineasta rebelde, fez o que queria e da maneira que julgava correto fazer – nunca seus filmes passaram sem gerar questionamentos, defesas e ataques.

 

 

 

 

 

spacer

Leave a reply