10 de dezembro de 2012

Olá,

Opte por aquilo que faz o seu coração vibrar. Apesar de todas as consequências. Osho

Com estas palavras de Osho podemos começar de maneira bastante otimista nossa semana. Estava pesquisando algumas figuras sagitarianas e pensei em trazer o mapa de Bethoven (17 de dezembro de 1770), afinal trata-se de um gênio, de um mestre! Mas resolvi trazer um gênio, um mestre mais moderno e também sagitariano: Jimi Hendrix.

São dois exemplos de sagitarianos idealistas e inspirados!

E para encerrar trago um texto bem bonito de Kalil Gibran.

Desejo excelente semana e tam tam tam tam!

Nádia Oliveira

CÉU DO MOMENTO

O Sol atravessa o signo de Sagitário ainda formando no céu um aspecto tenso com Júpiter, planeta que tem uma profunda relação com este signo.   Este aspecto pode atrapalhar nosso bom senso, e subestimarmos as possíveis consequências de nossas ações. Como aqueles momentos em que algo nos escapa entre os dedos e perdemos o controle da situação.

Mas idéias estão bastante estimuladas, então vale a pena apostar na criatividade e inovação. Também sentiremos o ritmo acelerado nos próximos dias. Sobre a aceleração dos dias, além de configurações astrológicas associamos a própria época do ano com as festividades de Natal e Reveillon se aproximando, então dificil será mantermos a agenda e os planos em seus ritmos naturais.

Um bom clima de sedução no ar, bom para assuntos amorosos, mas também nos negócios financeiros. Como o momento pode ser enebriante, será difícil manter os pés no chão.

Aproveite a dinamização do período para executar atividades importantes, pois terá força e determinação nestes dias.

Atividades lúdicas, artísticas e espirituais serão altamente produtivas.

—————————————————————————————————————

.

.

siga-me no Twitter

@ceuastrologia 

 .

 —————————————————————————————

JIMI HENDRIX

“Me dá licença que vou beijar o céu.” Jimi Hendrix

Jimi Hendrix nasceu nos EUA em 27 de novembro de 1942. É um cantor e guitarrista dos mais famosos da década de 60. É considerado como uma verdadeira proeza como guitarrista e seu estilo musical, até hoje é uma grande referência no mundo do rock.

Hendrix era sagitariano de Sol e Ascendente, seu sucesso foi rápido e metórico. Viveu de maneira intensa e arrojada. 

O uso das drogas na época ultrapassa características astrológicas, era algo cultural em seu meio e o alcool em especial, um companheiro quase inseparável.

A sensibilidade artística e emocional fica ainda mais reforçada com a Lua e Júpiter no signo de Câncer.

Artisticamente Hendrix foi ousado e inovou ao utilizar uma série de técnicas musicais pouco utilizadas anteriormente, Urano pode ter exercido um forte papel, pois faze bons aspectos com a Lua, Netuno e Mercúrio, estes dois últimos influenciando fortemente sua área da carreira e projeção.

Hendrix, como alguns ídolos perdeu sua vida no auge na carreira (Janis Joplin, Amy Whinehouse, Morrison e Cobain), todos eles morrem no auge da popularidade com 27 anos. Hendrix, faleceu em condições, até hoje polêmicas e misteriosas, antes de Saturno, planeta relacionado a maturidade executar seu retorno o que exigiria dele um amadurecimento.

Sobre Hendrix, Cazuza fez uma emocionante declaração:

Depois que eu vi ele tocando guitarra e a Janis cantando, era muito parecida a distorção da guitarra dele com a distorção da voz da Janis, era uma coisa super diferente da época, e isso me deu uma ideia de liberdade, de raio, de libertação, depois que ouvi ele tocar e ela cantar eu também achei que eu podia tudo, que eu podia ser um raio de energia, que eu podia ir contra tudo, que eu podia ser uma pessoa do jeito que eu sonhava” Cazuza

VIOLETA AMBICIOSA

Gibran Khalil Gibra

Havia num bosque isolado uma bonita violeta que vivia satisfeita entre suas companheiras. Certa manhã, levantou a cabeça e viu uma rosa que se balançava acima dela, radiante e orgulhosa.

Gemeu a violeta, dizendo: “Pouca sorte tenho eu entre as flores: Humilde é meu destino! Vivo pegada à terra, e não posso levantar a face para o sol como fazem as rosas.”

A Natureza ouviu, e disse à violeta: “Que te aconteceu, filhinha? As vãs ambições apoderaram-se de ti?”

– Suplico-te, ó Mãe poderosa, disse a violeta. Transforma-me em rosa, por um dia só que seja.

– Tu não sabes o que estás pedindo, retrucou a Natureza. Ignoras o que se esconde de infortúnios atrás das aparentes grandezas.

– Transforma-me numa rosa esbelta e alta, insistiu a violeta. E tudo o que me acontecer será a conseqüência dos meus próprios desejos e aspirações.

A Natureza estendeu sua mão mágica, e a violeta tornou-se uma rosa suntuosa. Na tarde daquele dia, o céu escureceu-se, e os ventos e a chuva devastaram o bosque. As árvores e as rosas foram abatidas. Somente as humildes violetas escaparam ao massacre. E uma delas, olhando em volta de si, gritou às suas companheiras:

“Hei,vejam o que a tempestade fez das grandes plantas que se levantam com orgulho e impertinência.” Disse outra: “Nós nos apegamos à terra; mas escapamos à fúria dos furacões.”

Disse uma terceira: “Somos pequenas e humildes; mas as tempestades nada podem contra nós.”

Então a rainha das violetas viu a rosa que tinha sido violeta, estendida no chão como morta. E disse: – Vejam e meditem, minhas filhas, sobre a sorte da violeta que as ambições iludiram. Que seu infortúnio lhes sirva de exemplo!

Ouvindo essas palavras, a rosa agonizante estremeceu e, apelando para todas as suas forças, disse com voz entrecortada: “Ouvi, vós, ignorantes, satisfeitas, covardes. Ontem, eu era como vós, humilde e segura. Mas a satisfação que me protegia também me limitava. Podia continuar a viver como vós, pegada à terra, até que o inverno me envolvesse em sua neve e me levasse para o silêncio eterno sem que soubesse dos segredos e glórias da vida mais do que as inúmeras gerações de violetas, desde que houve violetas. Mas escutei no silêncio da noite e ouvi o mundo superior dizer a este mundo: ‘O alvo da vida é atingir o que há além da vida’. Pedi então à Natureza – que nada mais é do que a exteriorização de nossos sonhos invisíveis – transformar-me em rosa. E a Natureza acedeu ao meu desejo. Vivi uma hora como rosa. Vivi uma hora como rainha. Vi o mundo pelos olhos das rosas. Ouvi a melodia do éter com o ouvido das rosas. Acariciei a luz com as pétalas das rosas. Pode alguma de vós vangloriar-se de tal honra? Morro agora, levando na alma o que nenhuma alma de violeta jamais experimentara. Morro, sabendo o que há atrás dos horizontes estreitos onde nascera. É esse o alvo da vida.”

spacer

Leave a reply