22 de outubro de 2012.

Olá,

Nesta semana, o Sol ingressa no signo de Escorpião. E temos aqui uma ótima crônica que Carlos Drummond de Andrade, o poeta escorpiniano, escreveu sobre o Hosróscopo.

E este é um céu especial de Escorpião: com textos sobre o signo e sobre os planetas que regem este signo: Marte e Plutão.

Escorpião é um signo do elemento água e de modo fixo. Isso significa que é emocionalmente intenso, visceral e determinado. Com este signo aprendemos a ir até o mais profundo e verdadeiro de nossos sentimentos e emoções. Nada de superficial, nada de leve ou de descartável.

Resolvi trazer um texto, de Eckart Tolle sobre um importante conceito: corpo de dor. Vale a pena pensar a respeito.

beijos,

Nádia Oliveira

ALÉM DA TERRA, ALÉM DO CÉU Além da Terra, além do Céu,

no trampolim do sem-fim das estrelas,

 no rastro dos astros,

na magnólia das nebulosas.

Além, muito além do sistema solar,

até onde alcançam o pensamento e o coração, vamos!

vamos conjugar o verbo fundamental essencial,

o verbo transcendente, acima das gramáticas e do medo e da moeda e da política,

o verbo sempreamar, o verbo pluriamar,

razão de ser e de viver.

Carlos Drummond de Andrade

CÉU DO MOMENTO

Nesta segunda o Sol ingressa no signo de Escorpião. Nestes primeiros dias e nos primeiros graus terá a companhia de Saturno, que desde o começo do mês entrou no mesmo signo.

Apesar do momento exigir cautela, o céu desta semana traz boas condições de resoluções e acertos. Fase boa para assumir compromissos e acertar negócios. Ações responsáveis e prudentes serão beneficiadas, cuidado com operações de risco e negociações em base insegura.

Fique atento a intuição, nestes primeiros dias, boas respostas poderão aparecer de maneira inusitada, mas sob medida.

Assuntos importantes na área da espiritualidade e religiosidade poderão encontrar terreno fértil e propício para bons encaminhamentos.

Fase inspirada para quem gosta de escrever, também estarão facilitadas as transações de compra e venda. Decisões importantes no campo de estudos e aprimoramentos intelectuais.

Se você vem adiando aquela conversa mais difícil, talvez esta semana encontre possibilidade de uma abertura maior de entendimento.

Marte e Júpiter formam uma tensão no céu que pode nos causar sérios aborrecimentos: cuidado com ações negligentes, questões podem fugir de nosso controle. Marte, também faz outro aspecto, mas desta vez harmonioso com o inusitado Urano: favorece reviravoltas e mudanças repentinas que podem trazer grande favorecimento. Abre caminho para disputas e decisões rápidas e acaloradas.

ESCORPIÃO

Data: 24 de outubro a 22 de novembro Planeta Regente: Plutão e Marte Planeta Exaltado: Urano Ritmo: Fixo Elemento: Água Signo Oposto: Touro Signos com afinidades: Capricórnio e Virgem Cores: vermelho profundo, castanho avermelhado, marrom escuro, preto e vinho. Metais: plutônio, ferro e urânio Pedras: cornalina vermelho-sangue, sardo, granada, rubi e rubilita. Frases: Eu desejo!

Palavras chaves: magnetismo, misticismo, amo-paixão, generosidade, renascimento, penetrante, passional, perspicácia, negócios associativos, fé, liderança, morte, rancor e vingança.

Marte

Marte – Ares Ludovisi. Palazzo Altemps, Museu Romano Nacional, Itália

Ciclo de 22 meses Rege: Áries e Escorpião Exaltação: Capricórnio Detrimento: Libra e Touro Queda: Câncer

Anatomia: rege a cabeça, a face, o sistema nervosos encefálico, os glóbulos vermelhos, a bílis, os músculos, ovários e testículos, glândulas supra-renais.

Representa a natureza animal, o desejo e a libido. Determina a força, determinação e energia do indivíduo. Tem analogia com brigas, conflitos, cirurgias, armas, guerra, acidentes, inflamações e violência. Muitas vezes é chamado de o Pequeno maléfico. Tem ação rápida, ríspida e agressiva. É a aplicação prática da energia do indivíduo.

Plutão

Ciclo de 248 anos

Se relaciona com o processo de destruição e transformação das coisas. Rege o mundo subterrâneo, o que não pode ser visto. Rege as massas, subversão, poder atômico, o crime, as fobias, obsessões, a morte e todos os processos de renascimento – geração, regeneração e degeneração. Sua ação é lenta, forte e inevitável. Representa o poder.

CRÔNICA – HORÓSCOPO

Carlos Drummond de Andrade

– Telefonaram do escritório, bem. Seu chefe mandou perguntar por que você não foi trabalhar. –  E você deu o motivo? – Não. – Podia ter dado. – Ora, Alfredinho, isso é motivo que se dê? – Por que não? Se há motivo, está justificado. Sem motivo é que não cola. – Então eu ia dizer ao seu chefe que você não trabalha hoje porque o seu horóscopo aconselha: “Fique em casa descansando”? – E daí, amor? Se meu signo é Touro, e se Touro acha conveniente que eu não faça nada, como é que eu vou desobedecer a ele? – É, mas com certeza seu chefe não é Touro, e não vai achar graça nisso. – Ele é Áries, está ouvindo? E o dia não está para relações entre Áries e Touro. Pega aí o jornal. Faz favor de ler com esses belos olhos cor de pervinca: “Áries –  Evite rigorosamente discussões com subordinados”. – Mas se ele evitar, não tem perigo para você. –  Ele pode evitar, sim, deve evitar. E para colaborar com ele, eu fico em casa. – Mas se você não comparece, ele pode vir ao telefone e pegar numa discussão danada com você, dessas de sair fogo. – Não atendo telefone durante o dia. Não posso atender. Não vê que estou descansando, que o horóscopo me mandou descansar? É favor não fazer rebuliço nesta casa. Amor e paz, para o descanso do guerreiro. – Pra mim você está é com preguiça, e das bravas. – Posso estar com preguiça, e daí? Preguiça é relaxante, restaura as energias, predispõe para o trabalho no dia seguinte. Mas uma coisa não tem nada a ver com a outra. Se eu não faço nada hoje, não é porque estou com preguiça. É em atenção a um mandamento superior, à mensagem que vem dos astros, você não percebe? – Percebo, sim, mas não concordo. – Pode se saber por que a excelentíssima não concorda com aquilo que percebe e que está devidamente explicado? – Pode. – Então explica, vamos. – Gozado, Alfredinho, até parece que para você só existem dois signos no zodíaco: Touro e Áries, você e o patrão. – Espera lá, você queria que eu não prestasse atenção em Touro? Áries eu li hoje por acaso, porque está ao lado de Touro, em coluna paralela. – Coincidência: você saber que seu chefe é Áries, e… – É sim. – E por que você guardou na cabeça que ele é Áries? – Ora por quê! Ele fez anos no mês passado, amorzinho. Até contei a você que oferecemos a ele uma batedeira. Soubemos que a mulher dele precisava de batedeira, fizemos uma vaquinha e pronto. Mas por que você diz que para mim só existem dois signos? – Pelo menos Sagitário você ignora. – Como que eu ia ignorar Sagitário, se é o signo de você, minha orquídea de novembro 25? – É, mas esqueceu de ler que o dia é propício para reuniões sociais de Sagitário, e saiba que esta sua orquídea de novembro 25 vai reunir hoje as amigas aqui em casa. Trate de se mandar, querido. – Sem essa! Touro me manda descansar em casa, e você me enche a casa com mulheres? – É, Sagitário não ia fazer isso comigo! Eu já tinha harmonizado Touro com Áries! – Pode continuar harmonizando, se for descansar em casa do Tostes, que é Virgem, eu sei, ele é nosso padrinho de casamento. O horóscopo do Tostes recomenda prestar serviço a um amigo. Assim, Touro, Virgem, Áries e Sagitário ficam inteiramente harmonizados, cada um na sua, um por todos, todos por um. Ande, vá se vestir rapidinho, rapidinho, e rua, seu vagabundo! Fonte: Livro Para Gostar de Ler, Crônicas, ed. Didática, Carlos Drummond de Andrade, SP, Ática, 1978

O “corpo de dor”

 ECKHART TOLLE

No caso da maioria das pessoas, quase todos os pensamentos costumam ser involuntários, automáticos e repetitivos. Não são mais do que uma espécie de estática mental e não satisfazem nenhum propósito verdadeiro. Num sentido estrito, não pensamos- o pensamento acontece em nós.

“Eu penso” é uma afirmação simplesmente tão falsa quanto “eu faço a digestão” ou “eu faço meu sangue circular”. A digestão acontece, a circulação acontece, o pensamento acontece.

A voz na nossa cabeça tem vida própria. A maioria de nós está à mercê dela; as pessoas vivem possuídas pelo pensamento, pela mente. E, uma vez que a mente é condicionada pelo passado, então somos forçados a reinterpretá-lo sem parar. O termo oriental para isso é carma.

O ego não é apenas a mente não observada, a voz na cabeça que finge ser nós, mas também as emoções não observadas que constituem as reações do corpo ao que essa voz diz.

A voz na cabeça conta ao corpo uma história em que ele acredita e à qual reage. Essas reações são as emoções.

A voz do ego perturba continuamente o estado natural de bem-estar do ser. Quase todo corpo humano se encontra sob grande tensão e estresse, mas não porque esteja sendo ameaçado por algum fator externo- a ameaça vem da mente.

O que é uma emoção negativa? É aquela que é tóxica para o corpo e interfere no seu equilíbrio e funcionamento harmonioso.

Medo, ansiedade, raiva, ressentimento, tristeza, rancor ou desgosto intenso, ciúme, inveja- tudo isso perturba o fluxo da energia pelo corpo, afeta o coração, o sistema imunológico, a digestão, a produção de hormônios, e assim por diante. Até mesmo a medicina tradicional, que ainda sabe muito pouco sobre como o ego funciona, está começando a reconhecer a ligação entre os estados emocionais negativos e as doenças físicas. Uma emoção que prejudica nosso corpo também contamina as pessoas com quem temos contato e, indiretamente, por um processo de reação em cadeia, um incontável número de indivíduos com quem nunca nos encontramos. Existe um termo genérico para todas as emoções negativas: INFELICIDADE.

Por causa da tendência humana de perpetuar emoções antigas, quase todo mundo carrega no seu campo energético um acúmulo de antigas dores emocionais, que chamamos de “corpo de dor”.

O “corpo de dor” não consegue digerir um pensamento feliz. Ele só tem capacidade para consumir os pensamentos negativos porque apenas esses são compatíveis com seu próprio campo de energia.

Não é que sejamos incapazes de deter o turbilhão de pensamentos negativos- o mais provável é que nos falte vontade de interromper seu curso. Isso acontece porque, nesse ponto, o “corpo de dor” está vivendo por nosso intermédio, fingindo ser nós. E, para ele, a dor é prazer. Ele devora ansiosamente todos os pensamentos negativos.

Nos relacionamentos íntimos, os “corpos de dor” costumam ser espertos o bastante para permanecer discretos até que as duas pessoas comecem a viver juntas e, de preferência, assinem um contrato comprometendo-se a ficar unidas pelo resto da vida.

Nós não nos casamos apenas com uma mulher ou com um homem, também nos casamos com o “corpo de dor” dessa pessoa.

Pode ser um verdadeiro choque quando- talvez não muito tempo depois de começarmos a viver sob o mesmo teto ou após a lua-de-mel – vemos que nosso parceiro ou nossa parceira está exibindo uma personalidade totalmente diferente. Sua voz se torna mais áspera ou aguda quando nos acusa, nos culpa ou grita conosco, em geral por uma questão de menor importância.

A essa altura, podemos nos perguntar se essa é a verdadeira face daquela pessoa – a que nunca tínhamos visto antes- e se cometemos um grande erro quando a escolhemos como companheira. Na realidade, essa não é sua face genuína, apenas o “corpo de dor” que assumiu temporariamente o controle.

Seria difícil encontrar um parceiro ou uma parceira que não carregasse um “corpo de dor”, no entanto seria sensato escolher alguém que não tivesse um “corpo de dor” tão denso. O começo da nossa libertação do “corpo de dor” está primeiramente na compreensão de que o temos.

É nossa presença consciente que rompe a identificação com o “corpo de dor”. Quando não nos identificamos mais com ele, o “corpo de dor” torna-se incapaz de controlar nossos pensamentos e, assim, não consegue se renovar, pois deixa de se alimentar deles. Na maioria dos casos, ele não se dissipa imediatamente.

No entanto, assim que desfazemos sua ligação com nosso pensamento, ele começa a perder energia. A energia que estava presa no “corpo de dor” muda sua freqüência vibracional e é convertida em “presença”.

Do livro O DESPERTAR DE UMA NOVA CONSCIÊNCIA

spacer

One comment on “22 de outubro de 2012.

  1. Pingback: Céu da Semana » 21 de janeiro de 2013

Leave a reply