15 de outubro de 2011

Olá,

Começo o céu agradecendo a todos os meus mestres, físicos e espirituais que pacientemente me ensinam toda a arte de viver! Feliz Dia dos Professores!

E além dos dias dos professores, dia 15 de outubro é o dia consagrado à Santa Teresa D’avila: ” Nada te perturbe, nada te espante, tudo passa…”.

Uma semana que começa logo após um feriadão (Nossa Senhora Aparecida), sempre se inicia com uma certa preguiça, mas não existe muito espaço para isso, Marte ingressou em Sagitário e faz bom aspecto com Urano – as coisas irão se acelerar!

Nesta semana, trago as previsões da semana e uma pequena reflexão sobre Saturno, que ingressou no signo de Escorpião. Resgatei também um antigo texto sobre Lilith, algumas pessoas haviam comentado e resolvi colocar novamente no “céu”. Além disso recomendo a leitura, de um texto sobre um diálogo de dois irmãos ainda no ventre da mãe, achei muito divertido e reproduzo aqui, se alguém conhecer a autoria me escreva.

uma boa semana,

Nádia Oliveira

CÉU DO MOMENTO

O Sol nos últimos graus do signo de Libra, forma um ótimo aspecto com o planeta Júpiter que nestes meses transita por Gêmeos, dois signos do Ar. Este aspecto no céu, propicia boas parcerias e também uma espécie de megalomania positiva, pensamos grande, queremos mais e o céu permite tais avanços e a construção de sonhos.

Ao mesmo tempo o Sol se aproxima de Saturno, planeta relacionado a estrutura e solidez das questões da vida, é o encontro do sonho com a realidade – as vezes dura e amarga e outras campo fértil à concretização de nossos sonhos. Saturno em Escorpião, reforça a firmeza de nos por frente à frente com a mundo material, com todas as suas possibilidades e suas limitações.

Bons aspectos no céu propiciam resolução de negócios e na área profissional o encontro de saídas aparentemente muito difíceis. Bom momento de tomar decisões nem sempre fáceis, mas acertadas!

A “armadilha” da semana é a presunção, cuidado com ela. Atitudes mais centradas e humildes resultarão mais adequadas.

SATURNO EM ESCORPIÃO

“Como podemos começar essa tarefa aparentemente hercúlea de regeneração e transfiguração de nós mesmos, nossas mentes, o nosso planeta? Essa é uma pergunta que deve ter muitas respostas, mas em todos os casos, a resposta exige um reconhecimento claro do que está em jogo é uma ânsia ardente de consagrar  todo nosso ser para um esforço obviamente necessário para produzir uma solução eficaz e transformadora. Neste sentido, é claro, Saturno é também capataz e disciplinador.

Dane Rudhyar, out  1967

Saturno ingressou no signo de Escorpião no começo de outubro de 2012 e permanecerá até final de 2014.

Li a um tempo atrás que Saturno em Libra, signo que se encontrava desde 2010, poderia se assemelhar a uma mão de ferro em uma luva de pelica (veludo), agora sentiremos o peso da mão de ferro atuando. Muitos assuntos que na fase anterior puderam ser contornados, na agora serão enfrentados e deveremos estar prontos para realizar profundas mudanças.

Precisaremos realizar uma reestruturação forte e visceral em nossas instutuições mais sólidas.

Com esta posição – Saturno em Escorpião – não existe espaço para leviandade, inocência ou golpe de sorte, responderemos por nossas ações, tanto individualmente como coletivamente. Em termos de finanças não podemos esperar muita prosperidade e crescimento, ao invés disso, podemos nos preparar para um maior controle financeiro, com regras mais limitadoras e rígidas. É preciso cuidar com o endividamento crescente e descontrolado.

O signo de Escorpião nos permite ir além dos limites da superfície, Saturno também trata de limites, poderemos em nossas vidas ou em nossa coletividade expormo-nos ao limite. É normal a sensação de que tudo deverá piorar ao limite para que provoque uma mudança, como a lenda de Fênix – esta posição nos leva ao processo de renascimento – mas após um fim angustiante. Saturno em Escorpião e Plutão em Capricórnio estão em recepção mútua reforçando a natureza transformadora destas posições planetárias.

Não será fácil para ações mediadoras, equilibradas, e superficiais, estamos na era do “politicamente correto” mas nesta fase saturnina teremos que ser mais profundos e consequentes em nossas atitudes.

Saturno e Plutão, por progressão ou trânsito, parecem ser os planetas mais fora do comum quando se trata de questões de sombra. E a mulher que eu estava falando estava no meio do seu segundo retorno de Saturno. Assim, o aparecimento da figura da sombra nessa época é muito congruente. Evidentemente, Saturno tem muito a ver com a sombra. O signo de Saturno, a Casa em que está localizado, os aspectos que faz, tudo isso pode ter algo a dizer sobre a sombra. Mas não é a única coisa no mapa que deve ser considerada.(…) Saturno me parece representar, entre outras coisas, a linha fronteiriça do ego. Marca onde eu termino e você começa. É meu senso de separação, minha estrutura, meu anel de defesas.” Liz Greene in Saturno e Júpiter – Ed Pensamento

A LUA NEGRA

Lilith ou Lua Negra é um ponto determinado no trajeto da órbita lunar. É o apogeu lunar, o ponto mais longínquo da Lua quando vista da Terra. Em seu movimento elíptico em torno  da  Terra,  a  Lua  forma um eixo. Seus dois pontos extremos  são  chamados:  perigeu:  o  ponto de sua órbita mais próximo  à Terra  e  apogeu: ponto de sua órbita mais afastado da Terra. O perigeu da Lua não é fixo, desloca-se 40 graus ao ano, aproximadamente. A partir do movimento aparente do perigeu da Lua, calculamos o deslocamento da LUA NEGRA, cuja revolução zodiacal é realizada em 3.232 dias, isto é, quase 9 anos para transitar todos os signos.

Existem várias referências a entidades semelhantes a Lilith na mitologia  das  civilizações  antigas  do  Oriente  Médio, demônios  femininos  ligados a libertinagem. Dominavam a noite,  incitavam  a luxúria, a uma atividade descontrolada que levava a perdição.

Lilith teria sido a primeira esposa de Adão, anterior a Eva, feita de pó negro e excrementos, Ela não acatava as ordens de  Adão  e  tinha  desejos,  textos  do século VI e VII (Bem Sirá) narram esta revolta e de como foi banida para o Mar Vermelho  e  lá  vivia  em  liberdade  (libertinagem)  com diversos demônios, vivendo assim seu Destino,  Adão teria então pedido a Deus uma nova e submissa companheira e foi assim criada Eva. Lilith permaneceu no reino dos demônios atormentando  o  sono  dos  homens.  No  Zohar  também  é tratada como a rainha dos demônios que levava os homens a cair em tentação,  na Kabala, alguns consideram que seja o 10º sefiroh, Malkuth, que reina no submundo, nas trevas e na escuridão, incapaz de se sintonizar com Deus,  sujeita a tentações e frustrações, outros autores veriam a serpente do paraíso, como uma incorporação de Lilith.

Lilith tem uma sensualidade perigosa. Incorpora valores que outras deusas lunares também representam: Ishtar, Astarte, Isis,  Cibele,  Hécate. Uma  força  oculta  e  descontrolada, aponta uma recusa a submissão, podemos citar a astróloga Ana  Maria  Costa Ribeiro: “uma válvula de escape, usada para superar problemas pessoais; a profissão ou a situação que  se  gostaria  de  ter;  a  maneira  de  exercer  sua criatividade”.

Dom Néroman  afirma que a Lilith e o eixo nodal formam no mapa o  “casal lunar oculto”.

A posição da Lilith para a Astrologia mostra o grau de  intransigência, frustração e insatisfação, onde os instintos estão escondidos existindo aí uma capacidade de destruição latente.

Por casa pode indicar onde más escolhas são normalmente feitas, tentações e frustrações são vivenciadas. Por signo percebemos as qualidades mais difíceis de cada signo sendo sentidas. Os aspectos, apontam conflitos reprimidos a tempos remotos, representa um inconformismo subterrâneo do ser.

PARA REFLETIR

No ventre de uma mulher grávida dois gêmeos dialogam:

 – Você acredita em vida após o parto?

– Claro! Há de haver algo após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde. …

 – Bobagem, não há vida após o nascimento. Afinal como seria essa vida? …

– Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. …Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a nossa boca.

– Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Além disso, andar não faz sentido pois o cordão umbilical é muito curto.

– Sinto que há algo mais. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.

– Mas ninguém nunca voltou de lá. O parto apenas encerra a vida. E afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.

– Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.

– Mamãe? Você acredita em mamãe? Se ela existe, onde ela está?

 – Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela não existiríamos.

 – Eu não acredito! Nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que ela não existe.

– Bem, mas às vezes quando estamos em silêncio, posso ouvi-la cantando, ou senti-la afagando nosso mundo. Eu penso que após o parto, a vida real nos espera; e, no momento, estamos nos preparando para ela.

* não conheço a autoria

spacer

Leave a reply