02 de Julho de 2012

Olá,

Depois de uma breve e necessária pausa, o céu está de volta com muita  sensibilidade inspirada no Sol do momento – Câncer.

Câncer é o primeiro signo do elemento Água, e com sua influência literalmente mergulhamos no mundo das emoções. Nesta semana fazemos isso com Maiakovski, ou seja, no melhor estilo canceriano: sensível e apaixonado.

Uma semana especial e inspirada na sensibilidade do momento.

beijos

Nádia Oliveira

 

CÉU DO MOMENTO

O Sol em Câncer, signo cardeal se encontra nesta semana em graus que estabelecem uma forte e tensa configuração no céu: quadrado Plutão e quadrado Urano. É importante darmos atenção a estes aspectos, porque o clima será de pressão para uma resolução abrupta, temos que aprender a controlar as situações, é hora  de usarmos esta tensão para uma resolução definitiva de algo que desejamos ou talvez seja importante lidar com esta tensão no sentido de não acirrar ainda mais os ânimos. O céu pede tensão, nosso coração pode desejar algo diferente e nossas ações precisarão ser condizentes com ele (coração), mas não esqueçamos que os impulsos são os celestes.

Mercúrio no céu forma bons aspectos com Urano, Júpiter e Vênus, o que nos permite saídas criativas e neste caso inusitadas. Boa fase para planejar viagens e executar viagens e negócios. Bom também para investir na comunicação e na troca de idéias, tanto na área pessoal quanto na profissional.

Não desperdice nenhuma oportunidade, o momento trará saídas, muitas vezes não imaginadas. O clima um tanto nervoso e agitado não deve ser impecilho para que encontre uma ótima alternativa.

Bom para estudos, provas e entrevistas. Aproveite também para se dedicar a leitura com mais tempo.

Quem precisa (e quem não precisa?) de criatividade aproveite a inspiração do momento! Os relacionamentos afetivos devem viver uma fase especial de entendimento.

Uma dica importante é não perder tempo excessivo com coisas pequenas e sem importância. Priorize!

INVERNO

O inverno no hemisfério sul começou em 21 de junho e vai ate 23 de setembro quando dá lugar à primavera. O movimento de translação e a inclinação do eixo terrestre são os responsáveis pela variação da energia solar que atinge o planeta durante o ano. No inverno temos as noites mais longas e a menor incidência dos raios solares. A natureza parece se recolher, principalmente nos locais onde o rigor do inverno é mais sentido (altas latitudes).

 

O recolhimento da natureza nesta fase pode ser associado ao signo solar deste período: Câncer – recolhimento, interiorização, proteção e  abrigo. Os animais hibernam nesta fase, ou seja, mergulham em um estado de pouca atividade externa e onde as funções vitais são reduzidas ao extremo necessário à sobrevivência.

Passamos em nossas vidas por fases parecidas, mas na natureza estes momentos são vistos como naturais e cíclicos, já na nossa sociedade atual, muitas vezes são apenas combatidos com antidepressivos. Mas cabe aqui uma pequena reflexão, se estes momentos são compreendidos na natureza como  parte de um ciclo natural, onde o recolhimento e a concentração se fazem necessários para a posterior germinação da próxima estação, não é preciso as vezes que aceitemos o aparente silêncio da semente? Queremos flores sem aguardar o tempo da semente?

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” – Eclesiastes 3:1

CÂNCER

Características e Mitologia

“No período clássico, os gregos mostram Câncer, o caranguejo, nos Doze Trabalhos de Hércules. Enquanto o herói lutava com uma gigantesca serpente marinha chamada Hidra, um enorme caranguejo surgiu do pântano e cravou suas pinças no calcanhar de Hércules. Este voltou-se, esmagou o caranguejo e continuou sua luta com a Hidra. Sua arqui-inimiga, a deusa Hera (Juno), colocou o caranguejo entre as estrelas como recompensa por servir a deusa em sua luta para dominar Hércules.

A constelação do Caranguejo foi posta nos céus por Hera por ajudá-la em sua luta entre Hércules e a Hidra. Tanto Hera quanto a Hidra são aspectos da Grande Mãe pré-helênica, enquanto Hércules é o arquétipo patriarcal ou herói solar. Assim, nas profundezas da psique de um canceriano pode haver a necessidade de defender e proteger os”direitos maternos”, ó grande feminino que deu a vida ao caranguejo e também sua imortalidade estelar. Quando a mãe, a honra da família ou o ninho estão ameaçados, o canceriano pode responder instintivamente beliscando o inimigo com suas pinças, como o caranguejo fez com Hércules. Vemos esse drama representado ao inverso no reino animal, onde a mãe protege os filhotes furiosamente — mas no reino humano as mesmas mensagens emocionais ou psíquicas são transmitidas e os tipos de Câncer com freqüência alimentam a sua posição e a expectativa de que seus filhotes devolverão o favor e virão protegê-los logo que forem capazes de fazê-lo. Uma vez que Câncer é representado pela Grande Mãe, a mãe verdadeira, terrena, não deixa de ter um papel importante na vida daqueles que estão fortemente influenciados por esse signo. Com freqüência há um relacionamento carinhoso e simbiótico que se inicia no útero e continua até o túmulo. E no indivíduo de Câncer com aspectos fracos, isso pode ser fonte de problemas psicológicos por toda a vida. A Grande Mãe, nesses casos, sobrepuja o indivíduo de tal modo que não há possibilidade de individualidade. Nesse momento, os nativos de Câncer ficam envolvidos em um dilema de culpa, pois seus instintos dizem que ele deve honrar a mãe por lhe dar a vida, enquanto sua necessidade pessoal de ser um indivíduo está tão sufocada que são incitados à animosidade e à raiva.

….

Lembrando que estamos rodeados pela água em Câncer (assim como o feto), aparecem aqui sentimento, sensibilidade ao ambiente e forte absorção. Isso, aliado ao fato de que Câncer necessita de um lugar seguro para estar, responde pela premente necessidade Canceriana de constantemente buscar um lugar que ofereça a segurança que ele está buscando. Muitos nativos de Câncer fizeram de sua “verdadeira casa” o objetivo de sua busca.”

Astrologia e Mitologia – Ariel Guttman e Kenneth Johnson

Personagem Canceriano

Vladimir Maiakovski

“Nos demais,

todo mundo sabe o coração tem moradia certa,

fica bem aqui no meio do peito

mas comigo a anatomia ficou louca,

sou todo coração.”

Maikovski é considerado um dos mais importantes poetas do século XX.  Personalidade ao mesmo tempo introspectiva e emocionalmente intensa (Sol em Câncer na Casa 12). Possui grande necessidade de expressar suas idéias e seus pensamentos. Seu ascendente no signo de Leão, influenciou sua imagem, e foi reconhecido como de temperamento forte e determinado. Em um período de sua vida só vestia uma blusa amarela,   símbolo do ascendente (Leão)  e de sua terra natal a Geórgia, roupa  usada pelos camponeses russos, isto se tornou seu traje ritual, uma maneira de mostrar sua nobre modéstia.

Tinha talento para poesia, pintura, cinema, teatro, publicidade e jornalismo, mas acabou optando pela excelência na poesia. A força de planetas como Vênus, Marte e Mercúrio na casa 1 no signo de Leão e a Lua na Casa 3 (da comunicação) no signo de Libra reforçam estas características. Tornou-se um símbolo da rebeldia, apoiando a vanguarda revolucionária russa. Em sua obra é marcante seu engajamento político – Plutão-Netuno em aspecto com Lua e Marte, o fazem um idealista e ativista social.

 

Sua capacidade como ator e recitador são famosas. Dava espetáculos e participava de comícios, seu temperamento forte e dramático impressionava a todos (ascendente em Leão, com Mercúrio no ascendente).

Segundo Andre Barbault: “O ascendente com a conjunção Marte-Vênus-Mercúrio em Leão, perto do sol nascente. Voz forte e caráter. Envolvido no ato revolucionário da Revolução de Outubro, vivendo uma paixão pessoal, tornando-se um escritor poderoso das letras soviéticas.”

“Eu não forneço nenhuma regra para que uma pessoa se torne poeta e escreva versos. E, em geral, tais regras não existem. Chama-se poeta justamente o homem que cria estas regras poéticas”. Mayakovski

Sem dúvida um poeta que viveu com paixão e em 1930 pôs fim a sua vida, muitos explicam esta ação pela decepção política, na época reclamava da pressão que sentia do governo soviético para que participasse mais e apoiasse medidas artísticas de repressão,  o que o fez ficar cada vez mais desgostoso.

     
spacer

Leave a reply