23 de abril de 2012

Olá,

Parabéns aos taurinos que começam a celebrar seus nascimentos.

Nesta semana, é festejado o dia de um santo bastante popular, no Brasil: São Jorge, trago um pequeno texto em homenagem a esta data: 23 de abril.

Dois taurinos ilustram as matérias deste céu: Shakespeare e Dali. Bem, os dois não precisam de apresentações, apenas nossas reverências. É o talento artístico venusino em ação!

beijos e boa semana,

Nádia Oliveira

CÉU DO MOMENTO

O Sol no signo de Touro dá maior estabilidade e segurança nas diversas questões. Muitas confusões e situações mal definidas deverão nos próximos dias serem resolvidas ou superadas. Bons aspectos com os planetas Marte e Plutão trazem mais firmeza e atitudes resolutivas. Mas não espere acertar na primeira tentativa, algumas ações precisão ser repetidas até resultar positivamente.

Projetos poderão ser iniciados ou receber um dose extra de incentivo neste período.

Cuidado com a burocracia e o excesso de  exigências que encontrará pela frente. Vale a pena também cuidar com a saúde e pequenos acidentes domésticos.

Fase favorável para criatividade e arte em geral. Mas não encontrará facilidade para transmitir suas idéias, vale a pena gastar mais tempo e procurar se explicar melhor.

Discussões devem ser especialmente evitadas nesta fase, pois pequenos desentendimentos podem virar grandes brigas, é melhor parar antes do problema crescer. Existe agitação e nervosismo no ar.

WILLIAN SHAKESPEARE

Para começar a semana em alta, trago um taurino que dispensa apresentações: Willian Shakespeare. Shakespeare nasceu no dia 23 de abril de 1564, em sua época a Astrologia gozava de grande prestígio em todas as classes sociais isto justifica encontrarmos tantas referências astrológicas em suas obras.

São as estrelas, as estrelas no céu que nos governam”.

Shakespeare, Rei Lear

Essa é a maravilhosa tolice do mundo: quando as coisas não nos correm bem – muitas vezes por culpa de nossos próprios excessos – pomos a culpa de nossos desastres no sol, na lua e nas estrelas, como se fôssemos celerados por necessidade, tolos por compulsão celeste, velhacos, ladrões e traidores pelo predomínio das esferas; bêbedos, mentirosos e adúlteros, pela obediência forçosa a influências planetárias, sendo toda nossa ruindade atribuída à influência divina… Ótima escapatória para o homem, esse mestre da devassidão, responsabilizar as estrelas por sua natureza de bode. Meu pai se juntou a minha mãe sob a cauda do Dragão e minha natividade se deu sob a Grande Ursa: de onde se segue que eu tenho de ser violento e lascivo. Pelo pé de Deus! Eu teria sido o que sou, ainda que a mais virginal estrela do firmamento houvesse piscado por ocasião de minha bastardização.”

Shakespeare, Rei Lear

UM POUCO DE TOURO

O Sol atravessa o signo de Touro, segundo signo do zodíaco e do elemento terra. É governado por Vênus. Touro é um signo fixo, relacionado a praticidade e segurança. Touro tem forte poder de sedução e magnetismo. Os taurinos são práticos e confiáveis e amantes dos prazeres, dos confortos e das facilidades. É preciso cuidar com sua forte teimosia, sentimento de posse e conservação. Touro tem um sentido prático, mas não gosta de incertezas e imprevistos que o obrigam a uma ação mais rápida. Normalmente não funcionam bem sob pressão. É admirável seu talento natural para as questões materiais e financeiras, bem como um forte senso estético. Touro rege a região da garganta e quando bons aspectos marcam o planeta Vênus pode trazer talento natural para a música e em especial o canto. Quando Touro influencia o corpo físico, como quando está no ascendente, se reflete em uma estrutura sólida e robusta.

TOURO – O SÍMBOLO

Nádia Oliveira

A figura do touro aparece nas mais diferentes culturas. Um exemplo é seu importante papel no mitraísmo, antiga religião desenvolvida na Índia, Pérsia e outras regiões do Oriente Médio. O símbolo do deus Mitra era um touro. Era usado nos sacrifícios, para ser entregue ao deus. Este culto chegou ao Império Romano e foram erguidos vários templos. Várias características desta religião foram agregadas ao catolicismo, uma das mais importantes é que a celebração do deus Mitra era feita em 25 de dezembro, data que passou a ser considerado também o nascimento de Jesus. O mitraísmo seguiu sendo cultuado até o princípio do cristianismo, quando sua prática se tornou proibida, mas influenciou fortemente uma série de cultos e religiões da antiguidade.

Entre os egípcios, o Touro Ápis era venerado como um animal sagrado. Era considerado como uma expressão completa da divindade. O Touro Ápis era fortemente associado à agricultura e à força da natureza.

Rubens – O rapto de Europa, 1628/29

Na mitologia grega, em uma das mais belas histórias, Zeus transforma-se em um touro branco e rapta Europa, uma princesa.  O Touro a leva até a Ilha de Creta e a fecunda. Em Creta dá a luz a Minos, que cria touros dedicados a Poseidon.

Oferece a Poseidon seu melhor animal, caso se tornasse rico e poderoso. Poseidon atende a seus pedidos e ainda lhe presenteia com um lindo touro branco.

Mas o rei engana o deus, que enfurecido faz com que a esposa do rei Minos, Pasífae se apaixone pelo touro branco. Desse amor nasce o minotauro: metade homem e metade touro. Que permanece protegido no labirinto até que Teseu consegue matá-lo.

O Touro também aparece na cultura hindu. O deus Shiva, um dos deuses mais importantes, possui um touro que serve de montaria ao Deus. Nandi é seu nome e significa aquele que dá alegria.

Deus Shiva e seu touro Nandi

Nicolas Poussin - Adoração do bezerro de ouro

Na Bíblia encontramos várias passagens usando esse animal, mas uma que merece destaque é o que encontramos no Êxodo quando Moisés sobe o Monte Sinai para buscar a Tábua da Lei,  quando volta  encontra o povo adorando um bezerro de ouro.

O bezerro havia sido construído com todo o ouro que o povo tinha conseguido juntar.

Moiséis fica enfurecido, pela adoração a um ídolo de característica essencialmente material. Aqui é muito clara a relação deste animal, o touro, com os valores materiais.

Já no Novo Testamento, o Touro é colocado como um dos quatro animais místicos do Apocalipse: Touro, homem, leão e águia. Anteriormente estes animais foram descritos na visão de Ezequiel:

 

São Lucas

“E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a  sua aparência: tinham a semelhança de homem. E cada um tinha quatro rostos, como também cada um deles quatro asas. E os seus pés eram pés  direitos; e as plantas dos seus pés como a planta do pé de uma bezerra, e  luziam como a cor de cobre polido. E tinham mãos de homem debaixo das suas asas, aos quatro lados; e assim  todos quatro tinham seus rostos e suas asas. Uniam-se as suas asas uma à outra; não se viravam quando andavam, e cada  qual andava continuamente em frente. E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado  direito todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos  os quatro tinham rosto de boi; e também tinham rosto de águia todos os  quatro.” (Ezequiel 1:5-10)

Normalmente  encontramos nas imagens que retratam São Lucas a figura de  um touro. Existe uma associação dos evangelistas com cada um dos quatro animais. No  ínicio de seu evangelho, São Lucas, começa escrevendo sobre o sacerdócio de Zacarias que por ser ministro do altar, que tinha como incumbência oferecer a Deus as vítimas. Entre elas o boi figurava em primeiro lugar.

Mesmo nos dias atuais, ainda encontramos exemplo do uso da figura do Touro.  Existe uma enorme escultura de mais de 3 toneladas, feita por Arturo di  Módica,  no Bowling Green Park, em Nova Iorque, bem próximo a  Wall Street, conhecida área de importantes decisões e negociações financeiras.  A idéia era criar uma imagem que associasse robutez, estabilidade, confiança e  riqueza: Touro.

 

Em  todas essas passagens podemos perceber que o touro é considerado um  símbolo da materialidade, da força e da virilidade. Está associado às  forças telúricas e representa força física. Shiva é o deus que cavalga o touro, domina e controla a força material.

Personalidade Taurina

SALVADOR DALÍ

Salvador Dalí foi um importante pintor espanhol. Dalí é um dos pintores surrealistas mais conhecidos, seu trabalho chama a atenção pelas composições de imagens bizarras, como aquelas imaginadas em sonhos e delírios Dalí, tinha em seu mapa vários planetas no signo de Touro, incluindo aí Vênus.

O que dá a ele forte senso estético e plástico. Além de suas obras, ele se destacou por um comportamento extravagante e excêntrico, incluindo: cabelos, bigodes e as roupas que vestia. Sua excentricidade no mapa pode ser observada no aspecto formado pela explosiva Lua em Áries com Netuno e Urano (T_Square).

A mistura artística de certa maneira bizarra, entre sonho e realidade, também pode ser analisada por esta mesma configuração.

Um dos mais famosos quadros de Dalí é “A Persistência da Memória”, pintado em agosto de 1931.

Dalí conta que estava em seu atelier numa tarde de agosto, petiscando com sua esposa, Gala (a russa Elena Dimitriova Diakonova), que foi sua grande paixão, quando pegou no lápis e nele enrolou uma fatia de queijo camembert, amolecido pelo intenso calor. Surgiu assim a idéia de pintar este quadro. Fez a obra em duas horas.

Os relógios derretidos de Dali são analisados pelos críticos, sob diversas facetas: a preocupação humana com o tempo e a memória ou a fragilidade da homem, face ao tempo. Podemos “brincar” com os símbolos astrológicos e perceber que em seu mapa existe um conflito entre o eu e o tempo (Sol quadrado Saturno).

SANTO DA SEMANA

São Jorge, é patrono da Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânia, extra-oficialmente, da cidade do Rio de Janeiro (oficialmente é São Sebastião), além de ser padroeiro dos escoteiros e do Corinthians. Seu dia de comemoração é 23 de abril.

No pontificado do papa Paulo VI, São Jorge foi de certa maneira rebaixado, pois tornanam seu culto opcional nos calendários locais e não mais era festejado em caráter universal, como os demais santos. Mas de certa maneira o papa João Paulo II tornou este santo relevante dentro da Igreja católica quanto o reabilitou, como figura de primeira instância e arcanjo.

No Brasil, seu culto é muito frequente, dentro e fora da religião católica e é feita uma associação sincrética com o Ogum – santo Guerreiro.

 

 

spacer

Leave a reply