19 de dezembro de 2011.

Olá,
Nesta semana ficamos atordoados entre o consumismo e apelo comercial do Natal e seu sentido mais espiritual e solidário. Que fiquemos o mais tempo possível no segundo momento.
 
Trago algumas matérias sobre a entrada do Sol no signo de Capricórnio e algumas reflexões sobre o sentido do natal: Osho e Nelson Rodrigues. Duas participações que podem parecer inusitadas, mas creio que sensíveis, honestas e sábias.
 
Feliz Natal
Nádia Oliveira
 
A VIGÍLIA DOS PASTORES
de Nelson Rodrigues
“Escrevo à noite. Vem na aragem noturna um cheiro de estrelas. E, súbito, eu descubro que estou fazendo a vigília dos pastores. Aí está o grande mistério. A vida do homem é essa vigília e nós somos eternamente os pastores. Não importa que o mundo esteja adormecido. O sonho faz quarto ao sono. E esse diáfano velório é toda a nossa vida. O homem vive e sobrevive porque espera o Messias. Neste momento, por toda a parte, onde quer que exista uma noite, lá estarão os pastores – na vigília docemente infinita. Uma noite, Ele virá. Com suas sandálias de silêncio entrará no quarto da nossa agonia. Entenderá nossa última lágrima de vida”

 

 
E para completar esta introdução, uma bela imagem de Portinari: A Fuga. Portinari é capricorniano e nasceu em Brodósqui, SP em 29 de dezembro de 1903 e faleceu em 1962. Pintou mais de 5000 obras e é considerado o pintor brasileiro de maior projeção internacional.
 
 
 

A Fuga para o Egito – 1937

 

 

 

CÉU DO MOMENTO

Nesta semana, a partir de 22 de dezembro o Sol ingressa no signo de Capricórnio. Uma forte capacidade de decisão e firmeza devem nos fortalecer. Bom para tomar importantes decisões (infelizmente a correria das festas de final de ano podem atrapalhar).

Também poderemos tomar decisões que devem impactar por meses nossas vidas. Aproveite seu forte magnetismo, mas cuidado com a dose extra de autoritarismo que pode cercar suas ações.

O Sol aproxima-se nestes dias de Plutão, e isso dá uma incrível energia de força de ação e atitude. É uma renovação excelente para esta fase do ano. Um renascimento na semana que se comemora um tão importante nascimento – 25 de dezembro. Vale a pena, incitar que façamos nosso renascer com consciência e responsabilidade. Muita dificuldade de cumprir todos os compromissos, o que pode nos levar a um certo desgaste nos relacionamentos.

Não sei se o conselho, ainda é possível, mas cuidado com as finanças. Os gastos serão elevados, mas criatividade e oportunidades também estarão em alta. O período ainda está confuso, os assuntos se sucedem e é difícil avaliar o que é bom e o que é mau, ou dizendo diferente separar o joio do trigo. Neste caso, a dica é procurar estar mais centrado para aguardar os próximos acontecimentos, sem provocar nenhum problema. A dica ainda é paciência.


CAPRICÓRNIO – QUE ENTREM AS CABRAS!

 

 

O sol ingressa em Capricórnio, o décimo signo. Este é o terceiro signo da terra e está associado à capacidade de trabalho, responsabilidades e a uma árdua ascensão.

Normalmente trabalho e seriedade são os atributos básicos dos capricornianos que tem seus ganhos e sucessos como resultado de suas atitudes, sempre bem direcionadas e planejadas. Como são determinados em suas metas, normalmente são ambiciosos e poderão aceitar renúncias e dificuldades para atingirem suas metas.

Normalmente tem hábitos tradicionais e conservadores. Retraídos se refugiam em seus pensamentos para se organizarem e tomarem decisões.

 

O SIGNO DE CAPRICÓRNIO

Capricórnio, o décimo signo, começa onde termina Sagitário. Estes dois signos ocupam a parte superior do Zodíaco em sua posição usual e representam, astrologicamente, entre outras coisas, as classes sociais mais prestigiadas. A Sagitário são associados os sacerdotes, os políticos e os magistrados; a Capricórnio, os governantes e toda forma de poder e projeção social.

A Sagitário estão vinculados as leis e os princípios éticos e morais; a Capricórnio, os que possuem credenciais e força para fazer com que essas leis e princípios sejam observados. São ligados a Capricórnio, além desse poder de coerção, restritivo e limitador, a autoridade paterna e as formas de exteriorização e de reconhecimento, os títulos, a vocação e a carreira. A Sagitário estão vinculados os anseios religiosos, de religação com a divindade. A Capricórnio também estão associadas as metas profissionais e sociais, as buscas de prestígio, de reconhecimento e fama.

O signo e a constelação de Capricórnio são comumente representados por um animal fabuloso, metade cabra, metade peixe, que está deixando o meio aquático das emoções, em direção ao meio terrestre, das coisas palpáveis. Os símbolos usuais do signo sempre lembram esse ser estranho.

A cabeça caprina e a cauda de peixe parecem as letras maiúsculas V e S ou V e C. No símbolo elas estão unidas por um traço que se volta sobre si mesmo, concordando com umas das características do signo, a introversão.

Texto de Raul Varella Martinez extraído de Astrologia – Doze Portais Mágicos, ed. Talento

 

VISUALIZAÇÃO DE CAPRICÓRNIO

para o período em que o Sol transita no signo de Capricórnio

“Imagino um caminho montanhoso, íngreme à minha frente, o qual escalo lentamente, passo a passo. A subida é difícil e inclinada, mesmo assim eu vejo diante de mim o cume pelo qual anseio.Tranponho obstáculos e rochas. Aproximo-me cadavez mais do cume.

Com cuidado e persistência euescalo a última rocha.Assim que me encontro no cume, sou atingido poruma luz ofuscante; meu peito se enche de alegria.Nesta solidão divina e majestosa, erguem-se ao meu redor maciços precipíciosrochosos, geleiras, banhadas pela luz do sol, brilhando em meio à luz branca dofirmamento azul.

Aqui, na limpidez do frio ar da montanha, encontramos apenas silêncio sublime e paz infinita. Deixo-me penetrar por esta luz ofuscante. Respiroprofundamente, o ar é límpido e puro e me inspira com nova vida, Olho para além doscumes e então para baixo, para os vales da vida.Reflito profundamente sobre a vida. Sinto um pulsar em meu coração. Surge dentrode mim um desejo intenso de descer e me unir aos Homens com Amor, contar-lhes ocaminho, para que eles também possam galgar as alturas.”

LOUISE HUBER – SIGNOS, ZODÍACO E MEDITAÇÃO – ED. TOTALIDADE

 

ENTÃO É NATAL

Se você quiser o Cristo, terá de ir além do cristianismo. Se você se apegar demasiadamente ao cristianismo, não será capaz de compreender Cristo. Ele está além de todas as igrejas.

Cristo é o próprio princípio da religião. Em Cristo todas as aspirações da humanidade são preenchidas. Ele é uma síntese rara. Comumente, um ser humano vive em agonia, angústia, ansiedade, dor e sofrimento.

Se você olhar para Krishna, ele foi para a outra polaridade: ele vive em êxtase. Não sobra nenhuma agonia: a angústia desapareceu. Você pode amá-lo, você pode dançar com ele por um tempo, mas a ponte estará perdida. Você está em agonia, ele está em êxtase — onde fica a ponte?

Um Buda foi ainda mais longe. Ele não está nem em agonia nem em êxtase. Ele está absolutamente tranquilo e calmo. Ele está tão distante que você pode olhar para ele, mas não pode acreditar que ele existe.

Parece um mito — talvez um preenchimento de um desejo da humanidade. Como pode tal homem andar nesta terra, tão transcendental a todas as agonias e os êxtases? Ele está muito distante.

Jesus é a culminação de todas as aspirações. Ele está em agonia — como você, como todos os seres humanos nascem —, em agonia na cruz. Ele está no êxtase que às vezes um Krishna alcança: ele celebra; é uma canção, uma dança.

E também é transcendência. Há momentos em que você chega bem perto dele, em que você vê que seu ser interior não é nem a cruz nem a celebração, mas a transcendência.

Esta é a beleza de Cristo: existe uma ponte. Você pode ir em direção a ele pouco a pouco, e ele pode conduzi-lo na direção do desconhecido — e tão lentamente que você nem terá ciência quando cruzar a fronteira, quando entrar no desconhecido vindo do conhecido, quando o mundo desaparecer e Deus aparecer.

Você pode confiar nele, porque ele é tão parecido com você e, contudo, tão diferente. Você pode acreditar nele, porque ele faz parte da sua agonia — você pode compreender sua linguagem.

Eis porque Jesus se tornou um grande marco na história da consciência. Não é por coincidência que o aniversário de Jesus tenha se tornado a mais importante data histórica. Tinha de ser assim. Antes de Cristo, um mundo; depois de Cristo, passa a existir um mundo totalmente diferente — uma demarcação na consciência humana.

Há tantos calendários, tantos meios, mas o calendário que está baseado em Cristo é o mais significativo. Com ele, alguma coisa mudou no homem: com ele, algo penetrou na consciência do homem.

Osho, em “Palavras de Fogo: Reflexões Sobre Jesus de Nazaré”

 

UM PRESENTE DE NATAL

Um vídeo que gosto muito. O resumo dele poderia ser a frase de abertura: o barulho que acontece fora é apenas um eco daquilo que existe dentro de nós.

[embedplusvideo height=”500″ width=”650″ editlink=”http://bit.ly/2ayhwWN” standard=”http://www.youtube.com/v/Ha69Se3qpzs?fs=1″ vars=”ytid=Ha69Se3qpzs&width=650&height=500&start=&stop=&rs=w&hd=0&autoplay=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep8510″ /]

 

spacer

Leave a reply